Seminário Cidade em Movimento | Ciclo Pensar a Cidade

Seminário Cidade em movimento
Ciclo Pensar a Cidade

Dias 04 e 05/10
Museu Nacional do Conjunto Cultural da República

Inscrições gratuitas na Secretaria do Instituto Cervantes até 30/09

A Cidade está em constante movimento. Pensá-la a partir da sustentabilidade, da renovação energética, da arte, da mobilidade urbana ou da política, nos desperta a diferentes possibilidades de refletir e conhecer melhor o espaço em que vivemos. O ciclo pensar a cidade foi criado em 2010 com o objetivo de mostrar os processos de transformação urbana que vêem desenvolvendo-se nas principais cidades hispano-americanas e no Brasil e como convite a que a sociedade pense a respeito das diferentes possibilidades de interagir com o ambiente a seu entorno.


Programação

04/10, terça-feira, de 18h30 às 21h30

Renovação energética: Ramón Bobes e Ricardo Santamaría (Espanha)
Debatedores: Cláudia Amorim, Marta Romero e Ernani Peruzzo (Brasil)
Mediador: Pedro Palazzo (Brasil)

Cidade, arte e política: Julio Touza (Espanha)
Debatedores: Sylvia Ficher e Miguel Gally (Brasil)
Mediador: Pedro Palazzo (Brasil)

05/10, quarta-feira, de 14h30 às 18h30

Estruturas Sociais: Paula Montoya (Espanha)
Debatedores: Luciana Sabóia e Elane Ribeiro Peixoto (Brasil)
Mediador: Danilo Matoso (Brasil)

Estruturas Públicas:
Enrique Johansson (Espanha)
Debatedores: Danilo Matoso e Fabiano Sobreira (Brasil)
Mediador: Pedro Palazzo (Brasil)

A reabilitação da cidade: acumpunturas, enxertos e transplantes urbanos na Espanha
Julio Touza (Espanha)
Debatedores: Ana Elisabete Medeiros e Pedro Palazzo (Brasil)
Mediador: Danilo Matoso (Brasil)


Exposição

Madri 100% arquitetura II

De 06 a 30/10
Visitação de terça a domingo das 9h às 18h30
Museu Nacional do Conjunto Cultural da República

Com a iniciativa Madri 100% Arquitetura II, o Colégio Oficial de Arquitetos de Madri em colaboração com o Instituto Cervantes de Brasília, propõe-se a dar a conhecer boa parte da arquitetura que os profissionais de Madri vêm realizando em Madri capital, na Comunidade de Madri, na Espanha e em todo o mundo.

As obras expostas demonstram a capacidade dos arquitetos de Madri para dar resposta às necessidades da sociedade, oferecendo um importante valor agregado a qualquer processo produtivo e de desenvolvimento de um país. Encontramos nesta mostra a grande diversidade de tipologias edificatórias que um arquiteto madrilenho é capaz de executar de acordo com as suas capacidades. As obras são diversas em tamanho e característica, para todo tipo de clientes, públicos e privados, e adaptadas às peculiaridades sócio-culturais do meio em que se encontram, demonstrando que sua profissão é uma função social.


Realização

COAM – Colegio Oficial de Arquitectos de Madrid
Instituto Cervantes de Brasília
FAU-UnB – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília
Co-Realização

Museu Nacional de Brasília
Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal

Apoio

Complexo Meliá Brasil 21

Parceiros

Núcleo DOCOMOMO Brasília
EUNIC Brazil – European Union National Institutes for Culture – Brazil
II Simpósio Internacional Arquitetura e Patrimônio


Programação detalhada

04/10, terça-feira
de 18h30 às 21h30

Renovação energética
Ramón Bobes e Ricardo Santamaría (Espanha)
Debatedores: Cláudia Amorim, Marta Romero e Ernani Peruzzo (Brasil)
Mediador: Pedro Palazzo (Brasil)

Apresentação do panorama energético global, com uma exposição de quais são as alternativas ao consumo de energia não renováveis. Apresenta diferentes formas de produzir energia limpa, sua situação atual, os problemas na sua implementação e as necessidades de desenvolvimento em diferentes aspectos, tais como, a importância da produção descentralizada e de armazenamento de energia. Este último ponto deve estar necessariamente ligado ao desenvolvimento da produção de energia de forma descontínua, como por exemplo a solar ou a eólica. Além da produção de energia elétrica também serão mostrados exemplos de carros elétricos, uma das grandes necessidades da nossa sociedade para alcançar um desenvolvimento mais equilibrado

Biografias

Ramón Bobes
Doutor, Engenheiro de Minas pela Universidade de Oviedo e Mestre em Direção-geral de Empresas pela Escola Européia de Administração de Empresas. Atua a 30 anos na empresa HC energia (grupo EDP) onde começou sua atividade profissional aos 17 anos passando por diferentes postos. Atualmente é Chefe de Estudos da Direção de Estudos e Comunicação desta empresa, membro do Clube Espanhol da Energia e UNESA (patronal elétrica espanhola) e representante da HC energia em diferentes Comissões e Grupos de Trabalho do Setor Elétrico.

Ricardo Santamaría
Doutor em Ciências pela Universidade de Alicante. Após um período de 3 anos em REPSOL incorpora-se ao Instituto Nacional do Carvão (INCAR-CSIC), atualmente trabalha como Investigador Cientista nesta mesma instituição. Sua atividade se desenvolve no âmbito dos materiais de carbono para aplicações em energia e meio ambiente, e na otimização dos processos de conversão do carvão e do petróleo. É autor de várias patentes e responsável por um bom número de projetos unidos ao setor energético e carboquímico. Hoje, sua atividade centra-se no desenvolvimento de diferentes sistemas de armazenamento de energia elétrica com possíveis usos em veículos elétricos ou, a maior escala, para sistemas de armazenamento em redes de distribuição.

Debatedores:

Marta Adriana Bustos Romero
Bolsista de Produtividade em Pesquisa 1D
Graduação pela Universidad de Chile e pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1978), Especialização em Arquitetura na Escola de Engenharia, USP de São Carlos (1980). Mestrado em Planejamento Urbano pela Universidade de Brasília (1985) e Doutorado em Arquitetura – Universitat Politecnica de Catalunya (1993), Pós Doutorado em Lanscape Architecture na PSU (2001). Atualmente é professora Associada III da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Tecnologia da Arquitetura e do Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: sustentabilidade, bioclimatismo, desenho urbano, espaco público e arquitetura e clima. Lider do Grupo de Pesquisa A Sustentabildade em Arquitetura e Urbanismo, Coordena o Laboratório de Sustentabilidade Aplicada – LaSUS. Coordena Curso de Especialização à Distancia, Lato Sensu "Reabilita – Reabilitação Ambiental Sustentável Arquitetônica e Urbanistica" e Consórcio de Cooperação Bilateral USA/Brasil – USBUFC , Capes/Fipse 2008-2012.

Claudia Naves David Amorim
Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília (1987), mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília (1997) e doutorado em Tecnologias Energéticas e Ambientais na Università degli Studi di Roma "La Sapienza" (2001), com tese desenvolvida no Politecnico di Milano. Professor Adjunto da Universidade de Brasília (UnB), coordenadora do Laboratório de Controle Ambiental e Eficiência Energética (LACAM) e Vice Diretora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Coordenadora da Divisão 3 do CIE-Brasil (Comission Internationale del`Eclairage). Pesquisadora e consultora adHoc do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), parecerista da FAPESP, integrante da Secretaria Técnica do Procel/Edifica, participando da elaboração do Regulamento para Eficiencia Energética de Edifícios. Coordenadora do grupo de pesquisa "Qualidade Ambiental e Iluminação Natural no Espaço Construído", tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em sustentabilidade e qualidade ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: Iluminação natural, conforto ambiental, eficiência energética, projeto de arquitetura, reabilitação de edifícios e simulação computacional.

Ernani Peruzzo
Concluiu os estudos de Arquitetura e Urbanismo na Fundação Armando Álvares Penteado em 2002, entre 2006 e 2008 realizou o Master em Medio Ambiente Urbano y Sostenible na Universitat Politècnica de Catalunya, em Barcelona ESP.
Participou de projetos de diversas tipologias, dentre eles a Sede Administrativa da Petrobrás em Vitória pelo escritório Sidonio Porto. Desde 2010 tem trabalhado principalmente com consultoria de sustentabilidade, certificação e eficiência energética de edifícios, tendo participado de mais de 30 projetos. As principais tipologias trabalhas são Torres Comerciais, Edifícios Institucionais, Escritórios, Centro de Distribuição, Marina e Fábricas, dentre eles os Edifícios Rochaverá, o Fórum do Meio Ambiente de Brasília (TJDFT) e Edifício CYK. Atualmente desenvolve consultoria de sustentabilidade de edifícios pela Engineering, empresa do grupo Hill International.
Tem sido convidado para palestras e aulas sobre construção sustentável e sistemas de certificação de edifícios em diversas instituições acadêmicas, dentre eles no curso de especialização de Sustentabilidade das Edificações na Universidade Presbiteriana Mackenzie. É professor convidado para ministrar disciplina de Tecnologias Construtivas e Sustentabilidade no curso de pós-graduação de Construção Sustentável na Fundação Armando Álvares Penteado.

Cidade, arte e política: seis propostas para as cidades do terceiro milênio
Julio Touza (Espanha)
Debatedores: Sylvia Ficher e Miguel Gally (Brasil)
Mediador: Pedro Palazzo (Brasil)

Nos primeiros anos do novo milênio a população urbana está superando a nível mundial à população rural. Ante o crescimento vertiginoso das economias emergentes, estes movimentos acentuam-se, não cabendo dúvida de que o futuro será urbano, como urbano foi o embrião de todas as nossas civilizações…

No entanto, a cidade é hoje um problema grave, pois parece concentrar todos os males que nos assolam: a crise energética, as desigualdades sociais, a contaminação, a insegurança, etc… Apesar disso, a história nos demonstra que a evolução de nossa espécie, está intimamente unida ao fenômeno urbano, e que o progresso de nossa civilização não se entenderia sem ele: não é casual que “civilização” compartilhe a mesma raiz etimológica que “cidade”.

Com seu crescimento desmedido e descontrolado, as mega-cidades pós-modernas (entendidas como herdeiras da linha histórica traçada pela polis grega, Roma, o burgo medieval, a cidade industrial, a cidade jardim, etc..) comprometem o futuro do planeta, que se propõe a equação do inevitável aumento da população urbana mundial diante da crise energética e meio-ambiental, e cuja única solução válida deve ser entendida a partir da justiça social tanto na partilha de recursos como no surgimento de oportunidades.

Por tanto, o debate sobre a cidade atualmente está mais aberto que nunca. Ante esta situação, otimistas como Jaime Lerner propõem que “a cidade não é um problema, senão uma solução”. Quem assim o pensa, também acredita que isto ocorre a partir de um novo modelo que reúna, da maneira apresentada por Italo Calvino em seu pôster-trabalho, seis propostas para as cidades do novo milênio, são elas: Inteligência, conectividade, sustentabilidade, diversidade, coesão social e densidade.

Sendo assim, as cidades do futuro, obrigarão o ser humano a dar um passo mais decidido em seu processo evolutivo, pois não será possível uma mudança sem um maior compromisso com a forma mais elaborada e complexa de organização humana: a cidade.

Biografias

Julio Touza
Nascido em Madri em 1975, é arquiteto pela Escola de Arquitetura de Madri (1999) ampliando sua formação no âmbito da teoria e prático do projeto arquitetura têxtil, desenho paramétrico, arquitetura bioclimática, etc.. sob a tutela de grandes maestros como Juan Herreros, Antón Capitel, Javier Caravajal, Bernardo Ynzega, Juan Monjo, entre outros. Atualmente desenvolve a sua tese de doutorado em sustentabilidade.

Em 2000 se incorpora ao Estúdio Touza Arquitetos, convertendo-se em sócio subdiretor de uma equipe de mais de 40 pessoas, em sua maioria arquitetos. No Estúdio desenvolve projetos que priorizam um “racionalismo social” com certa austeridade em seus desenhos, potencializada pela utilização minuciosa e cuidada dos materiais e da luz, incluindo sempre elementos de aproveitamento energético e eficácia bioclimática para otimizar a relação entre arquitetura e a natureza que a circunda.

Como responsável pela área internacional do Estúdio, está trabalhando atualmente em projetos no Marrocos, Vietnam, França e vem colaborando diretamente com arquitetos de Phillipe Starck, Jean Nouvel, Rafael de la Hoz, Kilo Architectures, HTT Group, Günter Standke, etc.

Paralelamente ao seu trabalho Professional, participa habitualmente de congressos, palestras e conferências de arquitetura.

Debatedores:

 Sylvia Ficher
Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1972), obteve o Master of Science in Historic Preservation (1978) pela Columbia University, Nova York, e é Doutora em História Social (1989) pela FFLCH/USP. Fez Pós-Doutorado em Sociologia (1990-92) na École des Hautes Etudes en Science Sociales, Paris. É Professora Associada 2 da Universidade de Brasília e Pesquisadora CNPq 1B. Atua na área de História e Teoria da Arquitetura e Urbanismo, trabalhando principalmente nos seguintes temas: ensino de arquitetura e profissão de arquiteto, urbanização do Distrito Federal e arquitetura e urbanismo de Brasília. Desenvolve ainda estudos de cunho teórico sobre história urbana, estética e crítica arquitetônica. Seu livro Os arquitetos da Poli (EDUSP) recebeu o Prêmio Clio 2005, da Academia Paulistana de História.

Miguel Gally de Andrade
Nasceu em Leuven (1976). Estudou Filosofia nas Universidades Federais da Paraíba e do Rio de Janeiro, e na Westphälische Wilhelms Universität Münster. Recebeu bolsas de formação e pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Deutscher Akademischer Austausch Dienst (DAAD) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Foi pesquisador-bolsista do CNPq junto à Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (FAPERN) e professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Atualmente é Professor Adjunto de Estética do Departamento de Teoria e História em Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (UnB). Experiência e áreas de interesse: História da Estética; Filosofia da Arte; Teoria das Artes Visuais; Teoria do Espaço; Filosofia da Arquitetura; Estética e Crítica Esportiva.

05/10, quarta-feira
de 14h30 às 18h30

Estruturas Sociais
Paula Montoya e Íñigo Redondo (Espanha)
Debatedores: Luciana Saboia e Elane Ribeiro Peixoto (Brasil)
Mediador: Danilo Matoso (Brasil)

Arquiteturas em trânsito. Leituras transversais da nova cidade

Através de uma série de propostas urbanas de ampla escala, reflete-se sobre a arquitetura como território multidisciplinar com capacidade para antecipar modelos de cidade mais eficientes, sustentáveis, e com vocação de desenvolver sua própria identidade.

Trata-se de um campo de provas de protótipos urbanos desenhados para dar resposta às necessidades presentes e futuras e de propor seu próprio e especifico modelo de gerenciamento. Redefinição do funcionalismo (arquitetônico e urbano) como meio de cooperação.

Sem renunciar à complexidade de qualquer tecido social, propõem-se versões de cidades auto-suficientes, em certa medida, e geradas incorporando um importante ônus de participação. O trabalho da construção da cidade, como meio majoritário da convivência humana, é uma tarefa aditiva: incorpora agentes múltiplos e processos cada vez mais complexos que vão desde o usuário até o técnico experiente; desde a mobilidade até os fluxos de informação.

Frente ao modelo estático, a cidade será abordada como sistema evolutivo capaz de prever suas próprias mudanças, e que incorpora variações ao aprender de si mesma e de seu meio.

O desenho destes tecidos urbanos inéditos precisa de uma arquitetura não convencional. Uma arquitetura com capacidade de trabalhar a mestiçagem como soma de atributos que co-habitam: mestiçagem de escalas, de programas, de sistemas construtivos, e de estratégias de implantação. Uma arquitetura com vontade de entender-se como trabalho colaborativo, descartando a noção antiga do indivíduo que se enfrenta ao sonho da perfeição atingida em solitário, que foi substituída pela resolução distribuída de um problema através de uma equipe eminentemente multidisciplinar.

Arquitetura e sustentabilidade. Construir a partir de um novo paradigma

A clássica controvérsia sobre os diferentes modelos de desenvolvimento arquitetônico e urbano que se demonstram verdadeiramente sustentáveis, mantém permanentemente aberto o debate sobre que formatos devem ser apoiados: a construção altamente tecnológica ou a construção de baixo impacto.

Através de uma série de experiências, algumas projetadas e outras realizadas, serão propostas uma série de questões básicas sobre a sustentabilidade, entendida como princípio de um novo paradigma arquitetônico: um sistema conceitual, figurativo, cultural, tecnológico, energético, social, econômico e político, que compartilha vínculos com a auto-suficiência, o industrial, a alternância e co-existência de usos…

Não se trata apenas de propor uma soma de procedimentos energéticos paliativos senão de entender que estamos desenhando estratégias para construir a arquitetura para um ciclo humano completo, que prevê seu crescimento, sua alternância e até a sua própria

Biografias

Paula Montoya
Tem seu estúdio em Madri, MERO ESTÚDIO, que compartilha com Iñigo Redondo ambos sócios fundadores do mesmo no qual realizam-se projetos da mais diversa índole, centrando-se na problemática da sustentabilidade e optando por uma arquitetura que propõe novos paradigmas conceituais e construtivos. No estúdio exploram-se novas ferramentas digitais de figuração e desenvolvimento dos projetos a través de formas colaborativas de produzir conhecimento e projetar arquitetura.

Na atualidade desenvolve sua investigação de tese doutoral no âmbito de arquitetura e digitalidade.

Seus projetos receberam prêmios nacionais em concursos de moradias na Galícia (2007 Xunta de Galícia, y 2009 Parque Ofimático de La Coruña, Xestur) Menção na convocatória EMVS pela inovação residencial e sustentabilidade (2008), Menção no Concurso Juzgados de Guardia Campus de la Justicia de Madri 2008 , Segundo Prêmio no Concurso Centro de Novas Tecnologias na antiga nave Torroja 2007, e prêmios internacionais como o Joint Commendation Prize (UCL-Londres), Europan 6 e Europan 10.

Participou em numerosas exposições, destacando a da Europan 6, e Europan 10 (em preparação) e a de moradias sociais na Galícia. Seus trabalhos aparecem em publicações como Paisajes, Tectónica, COAM…

Foi convidada como professora e palestrante a várias universidades espanholas e internacionais.

Íñigo Redondo
Tem seu estúdio em Madri, MERO ESTÚDIO, que compartilha com Iñigo Redondo ambos sócios fundadores do mesmo no qual realizam-se projetos da mais diversa índole, centrando-se na problemática da sustentabilidade e optando por uma arquitetura que propõe novos paradigmas conceituais e construtivos. No estúdio exploram-se novas ferramentas digitais de figuração e desenvolvimento dos projetos a través de formas colaborativas de produzir conhecimento e projetar arquitetura.

Recentemente co-fundou a equipe multidisciplinar M+M architecture que engloba o trabalho os estúdios de arquitetura, design e produção (Meroestudio e Made-in)

Seus projetos receberão Prêmios Nacionais em concursos de moradias na Galícia (2007 Xunta de Galícia, e 2009 Parque Ofimático de La Coruña, Xestur), finalista no prêmio reinvent cities 2009  Menção na convocatória EMVS pela inovação residencial e sustentabilidade (2008), Menção no Concurso Juzgados de Guardia Campus de la Justicia de Madrid 2008 , Mensão no  concurso de moradias públicas em Parla (2006), Finalista do prêmio i guzzini (2004)  y prêmios internacionais como Europan 6.

Participou em numerosas exposições, destacando a da Europan 6, e a de moradias sociais na Galícia. Seus trabalhos aparecem em publicações como Paisajes, Future, COAM…

Além de sua atividade Professional no Mero Estúdio, atualmente colabora como arquiteto da Direção facultativa na obra da “Cidade da Cultura” em Santiago de Compostela, projeto de oito grandes edifícios culturais desenhados por Eisenman architects e desenvolvido em sua fase de execução por Andrés Perea-Euroestudios.

Debatedores:

Elane Ribeiro Peixoto
Graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Católica de Goiás (1983), mestrado (1996) e doutorado (2003) em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo. Bolsista do CNPq junto ao Laboratoire DAntropologie des Institutions et Organisations Sociales (LAIOS – Maison des Sciences de LHommes), sob a orientação de Henri-Pierre Jeudy. Foi professora efetiva da Universidade Católica de Goiás nos cursos de graduação em Arquitetura e Urbansimo, Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial, Mestrado em História Cultural e professora colaboradora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasίlia. Maior experiência na área História da Arquitetura e do Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: cidade e arquitetura contemporâneas. Tradutora de obras escritas em francês para o português, entre as quais se destaca "O Culto Moderno dos monumentos Históricos: sua Essência e sua Gênese" de Aloïs Riegel.

Luciana Saboia Fonseca Cruz
Arquiteta e Urbanista pela Universidade de Brasília (1997), mestre em Teoria, História e Crítica da Arquitetura pela Universite Catholique de Louvain (2003) e doutora pela mesma universidade (2009). É professora adjunta da Universidade de Brasília do departamento de Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo (THAU) e também atua na área de Projeto de Arquitetura e Urbanismo desde 2010. Participa do Grupo de Pesquisa em História do Urbanismo e da Cidade-GPHUC-UnB/CNPq, e também é membro do laboratório LABE URBE vinculado ao PPG-FAU/UnB. Atua em pesquisa principalmente nos seguintes temas: modernidade, reconhecimento cultural, espacialidade moderna, espaço planejado, teoria e metodologia de projeto.

Estruturas Públicas: a cidade, suporte de vida
Enrique Johansson (Espanha)
Debatedores: Danilo Matoso e Fabiano Sobreira (Brasil)
Mediador: Pedro Palazzo (Brasil)

Reflexões sobre urbanismo e arquitetura, diálogos fotográficos São Paulo-Madri

Biografias

Enrique Johanson
Estuda Arquitetura na Escola de Madri onde se gradua em 1982.
Atividade profissional
1984 / 1990
Trabalha com os arquitetos Junquera-Pérez Pita, , colaborando nos seguintes projetos:
– Projeto de Reforma da Biblioteca Nacional 1984 a 1988 (Madri)
– Concurso para a Nova Estação de Atocha (Madri)
– Concurso para a Nova Prefeitura de Parla, Madri (1º lugar)
– Concurso Remodelação da Ilha da Cartuja, Sevilha EXPO 92 (1º lugar)
1990 / 2011
– Exerce livremente a profissão em seu próprio escritório

Debatedores:

Fabiano José Arcadio Sobreira
possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Pernambuco (1995), doutorado em Desenvolvimento Urbano pela Universidade Federal de Pernambuco e University College London(2002) e Pós-Doutorado na École darchitecture da Université de Montréal. É coordenador da Seção de Acessibilidade e Planejamento Sustentável da Câmara dos Deputados, professor e pesquisador do Departamento de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário de Brasília (UNICEUB) e editor do portal concursosdeprojeto.org.

Danilo Matoso Macedo
Graduado em Arquitetura e Urbanismo (UFMG, 1997), Mestre em Arquitetura e Urbanismo (UFMG, 2002), Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental (ENAP, 2004). Foi professor de projeto arquitetônico na Escola de Arquitetura da UFMG (2003) e no Curso de Arquitetura e Urbanismo do UniCEUB – Brasília (2003-2005). É arquiteto no Departamento Técnico da Câmara dos Deputados desde 2004. Possui escritório próprio desde 1996. . É autor de diversas publicações de arquitetura. Fundou e edita a revista de Arquitetura e Urbanismo MDC. É fundador e coordenador do Núcleo Docomomo Brasília desde 2007.

A reabilitação da cidade: acupunturas, enxertos e transplantes urbanos na Espanha
Julio Touza (Espanha)
Debatedores: Ana Elisabete Medeiros e Pedro Paulo Palazzo (Brasil)
Mediador: Danilo Matoso (Brasil)

No início do novo milênio nos assombra o aparecimento de cidades planejadas “ex novo” (no  Oriente Médio, como o caso de Dubai, nos projetos pioneiros de Masdar, e seguindo exemplos marcados por cidades como Brasília) ou a substituição quase completa de antigos subúrbios e infra-cidades, como ocorre na Ásia (isso com a lamentável redução de espaços de valor cultural e histórico, ou com crescimento descontrolado).

No entanto, na Europa e em muitos países da América, as cidades são pré-existentes e têm um forte arraigo social e cultural e as respostas do passado pareciam incidir no núcleo das cidades como problema, fugindo do mesmo com a criação de áreas suburbanas distantes, que prometiam uma falsa “felicidade urbana” (da qual despertamos bruscamente em um pesadelo de tráfico, poluição e crise energética), na Espanha podem ser vistos tanto exemplos errôneos como acertadas atuações de reabilitação e regeneração urbana. Estas experiências podem servir de modelo para futuras atuações que evitem o consumo desnecessário de espaço e energia que supõe abandonar a cidade histórica para abraçar a distante periferia.

Ações de distintas escalas, como as acupunturas definidas por Lerner, como outras de maior impacto, em casos associadas à organização de grandes eventos mundiais, nos ensinam as terapias que podemos aplicar às nossas cidades, dinamizando e revitalizando o centro das mesmas, e colocando em evidência nosso patrimônio cultural.

Neste sentido, propõe-se um olhar tanto nas “micro-intervenções”, às vezes meramente de escala arquitetônica, como nas atuações de impacto que tiveram mais êxito nos últimos anos, tais como:

– a recuperação do rio de Madri
– a abertura ao mar de Barcelona
– a regeneração da zona industrial de Bilbao
– a revitalização de Valência

Obviamente, todos estes processos não possuem apenas luzes, mas também sombras (custo social e econômico, outras operações falidas) que permitem abrir um debate sobre os limites das intervenções na cidade existente.

 Biografias

Julio Touza
Julio Touza Rodríguez (Ribadavia, Orense-1951) cursou Arquitetura na Escola Superior de Arquitetura de Madri (ETSAM), obtendo o título em 1974. No ano seguinte fundou o Estúdio que leva seu nome junto ao eminente arquiteto mexicano, Enrique Nafarrate Mexia. Em seus inícios compartilhou a atividade profissional com o de docente na própria ETSAM, até 1986, participando como palestrante internacional, representando ao Conselho Superior de Arquitetos de Espanha, nos debates sobre industrialização da construção, modulação e pré-fabricação, sistemas conexos e elementos finitos. Na mesma época parte deste trabalho traduziu-se na publicação de vários livros especializados em matérias de pré-fabricação, urbanismo e crítica de arquitetura.

Em meados dos anos oitenta centra-se plenamente em seu estúdio, cujas obras lhe permitiram tornar-se um dos arquitetos mais prolíficos da Espanha, recebendo nos últimos anos importantes encargos e diversos reconhecimentos. Participa habitualmente em congressos e conferências sobre Arquitetura e Urbanismo, formando também parte do corpo de jurados de diversos concursos de arquitetura.
Debatedores:
Ana Elisabete de Almeida Medeiros
é Arquiteta e Urbanista formada pela Universidade Federal de Pernambuco (1995); Mestre em Urbanismo pelo Institut dUrbanisme de Grenoble – Université Pierre Mendès France (1997), Doutora em Sociologia pela Universidade de Brasília (2002) e Pós-doutora em Urbanismo pelo Laboratório PACTE – IUG/IGEA da UPMF, em Grenoble (2008). É Professora Adjunta do Departamento de Teoria e História da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília – THA/FAU-UnB (2009). Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase na questão do Patrimônio Histórico no contexto do projeto urbano, atuando principalmente nos seguintes temas: patrimônio cultural, projeto urbano, identidade, memória, desenvolvimento local, espaço e habitação.

Pedro Paulo Palazzo de Almeida
Professor Adjunto do Departamento de Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo na Universidade de Brasília. Doutor em Arquitetura e Urbanismo/Estética e Semiótica e Mestre em Teoria, História e Crítica da Arquitetura e do Urbanismo na Universidade de Brasília. Graduado em Arquitetura e Especialista em Extremo-Oriente pela Universidade de Maryland (Estados Unidos).


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: