instituição do docomomo brasília

docomomo brasília

Coordenação

Coordenador
Danilo Matoso Macedo

Email: correio@danilo.arq.br

Secretário-Geral
Elcio Gomes da Silva

Email: elcio.arquiteto@gmail.com


O Plano Urbanístico de Brasília, projetado por Lucio Costa em 1957, foi protegido por lei federal desde 1960 e considerado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1987. Desde então, infelizmente, a aceleração do crescimento urbano e a pressão imobiliária no Distrito Federal vêm colocando em risco não apenas a integridade do conjunto urbano tombado, como também a conservação dos edifícios cuja arquitetura sempre conferiu qualidade à cidade.


Embora ainda não gozem de tombamento específico, os edifícios públicos de Brasília são identificados pela população como patrimônio artístico. Já arquitetura residencial e comercial moderna não possui o mesmo reconhecimento, sofrendo alterações muitas vezes irreversíveis. Nos dois casos, entretanto, a pouca durabilidade da tecnologia inovadora usada em sua construção e as sucessivas adaptações nos usos dos edifícios vêm ensejando um processo de descaracterização cada vez mais patente nos últimos dez anos.


No campo cultural, o ano de 2007 foi especialmente marcado pelos cinqüenta anos do concurso do Plano Piloto, pelos setenta anos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, pelos vinte anos do reconhecimento de Brasília como Patrimônio da Humanidade e pelos cem anos de Oscar Niemeyer. Mais que homenagens, estas efemérides ensejaram novo impulso na discussão de nossa herança moderna e dos problemas envolvidos em sua conservação. Entre outros problemas, podemos destacar: a falta de articulação entre as diversas instâncias governamentais a cargo da gestão dos monumentos e edifícios institucionais do Plano Piloto; a inexistência de um inventário da arquitetura não monumental de Brasília; e a necessidade de identificação e sistematização das fontes documentais arquitetônicas. Nesse contexto, a criação do núcleo docomomo brasília em agosto de 2007 representou a fundação de um fórum institucional que pretende dar corpo à multiplicidade de ações relacionadas à documentação e conservação da arquitetura e do urbanismo da cidade.

Objetivos gerais

1. Trazer à tona a importância do Movimento Moderno junto ao público, às autoridades, às comunidades profissionais e acadêmicas relacionadas ao ambiente construído.
2. Identificar e promover o registro das obras do Movimento Moderno, incluindo levantamentos, desenhos, fotografias, arquivos e outros documentos.
3. Incentivar o desenvolvimento de técnicas apropriadas de métodos de conservação e disseminar este conhecimento nas comunidades profissionais.
4. Opor-se à destruição e desfiguração das obras significativas do Movimento Moderno.
5. Identificar e levantar fundos para a documentação e a conservação.
6. Explorar e desenvolver o conhecimento do Movimento Moderno.

Objetivos específicos

1. Funcionar como fórum interinstitucional para o estabelecimento de práticas de documentação e conservação da arquitetura e do plano urbanístico de Brasília.
2. Incentivar o tombamento individual dos edifícios de Brasília.
3. Promover a aproximação entre a comunidade profissional de arquitetos e a comunidade acadêmica de pesquisadores relacionados à documentação e conservação da Arquitetura Moderna.

Realizações previstas

comemorações
• Ano do Centenário de Oscar Niemeyer na Câmara dos Deputados;

eventos
• mesa redonda
Lançamento de edição fac-símile livro Sôbre arquitetura, de Lúcio Costa
Alberto Xavier, Anna Paula Canez, Hugo Segawa, José Carlos Coutinho e Maria Elisa Costa
Local: Galeria da FAU-UnB
Data: 17 de agosto de 2007

• seminário
Arquitetura Moderna Brasileira
UnB/Câmara dos Deputados
Local: Auditório Nereu Ramos – Câmara dos Deputados
Data: a ser definida

• publicações sobre patrimônio e arquitetura moderna

• A capital da esperança 1956-61
Gustavo Lins Ribeiro
Editora da UnB
• A gênese do Plano Piloto de Brasília
Maria Elisa Costa
• A propósito de Brasília
Augusto Guimarães Filho
• Arquitetura residencial em Brasília
Ana Paula Ávila
• Da matéria à invenção: as obras de Oscar Niemeyer em Minas Gerais.
Danilo Matoso
Editora Câmara dos Deputados
• Da nova Lisboa a Brasília: a invenção de uma capital (tradução para o português)
Laurent Vital
• Marcílio Mendes Ferreira: arquiteto e urbanista
Vários autores
Gabriela Tenório (org)
FAU UnB
• Forma estática – forma estética: ensaios de Joaquim Cardozo sobre Arquitetura e Engenharia
Joaquim Cardozo et al.
Danilo Matoso e Fabiano Sobreira (org)
Editora Câmara dos Deputados
• Nauro Esteves: arquiteto e urbanista
Cristiana Garcia
• Oscar Niemeyer: 100 anos
Vários Autores
Andrey Schlee e Sylvia Ficher (org)
Editora UnB/Empresa das Artes
• Projetos para Brasília: 1927-1957
Jefferson Tavares
Editora UnB/Empresa das Artes
• Registro de uma vivência (terceira edição)
Lucio Costa
• Superquadras de Brasília (tradução para o português)
Farès El-Dahdah

• pesquisas
Documentação técnica e história da arquitetura da Câmara dos Deputados
Danilo Matoso, Casimiro Silva Neto, Elcio Gomes e Andrey Schlee
Na fonte da história da arquitetura: Centro de Documentação Digital de Arquitetura e Urbanismo
Andrey Schlee

• apoio a visitantes
Visitantes especializados;
Visitantes institucionais;
Formação de Guias para o público em geral.

Lançamento do livro Sôbre Arquitetura de Lucio Costa na Universidade de Brasília.
Cerimônia de criação do núcleo docomomo brasília em 18.08.2007

Foto Elcio Gomes da Silva.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: